Desenvolvida pelo professor de psicologia Everett M. Rogers, a difusão da inovação diz que para uma ideia, produto ou serviço (seja ele qual for) se torne massificado, eles precisa passar por alguns estágios.

E isso se chama Difusão da Inovação.

Leitura recomendada: Círculo Dourado – Como empresas inovadoras atraem os clientes certos.

Os estágios da difusão da inovação

difusão da inovação

– Inovadores •2,5%

Aquelas pessoas que topam experimentar coisas novas com muita facilidade. Se sentem confortáveis em tomar decisões rápidas.

– Adeptos Iniciais •12,5%

Também topam coisas novas com mais facilidade e também são considerados como lançadores de tendências.

– Maioria Inicial •34%

Após verem pessoas que são referências para eles usando os produtos, começam a usar também. Mas precisaram ter visto alguém usando antes.

– Maioria Tardia •34%

O produto já está no mercado, já está validado, já tem muita gente usando, amigos e familiares… só então eles começam a usar também.

– Retardatários •16%

Pessoas que relutam a essa mudança ou que provavelmente não vão usar

Todos nós, em diferentes tipos de situações, com diferentes tipos de inovações, vamos navegar entre esses estágios.

Em algum momento com algum produto eu posso ser um inovador, em outro, posso ser retardatário.

Exemplo:

Se lançar uma mídia social nova eu posso ser um “Adepto inicial”. Mas se lançar um skate que voa eu posso ser um “retardatário”.

O legal nisso tudo é pensar nesses estágios no momento em que você for lançar um produto que vai trazer inovação para o mercado.

Pois esses públicos precisam ser atingidos de maneiras diferentes, em estágios e canais diferentes.

A ideia de fato só vai massificada, quando ela passar do estágio dos adeptos iniciais e entrar no estágio da Maioria Inicial.

Pois desse público em diante são pessoas que precisaram ver outras pessoas fazendo algo antes para se sentirem confiantes de fazer o mesmo.

Eles chamam essa fase de Cruzando o Abismo. Pois é só depois disso que ideia se concretiza no mercado.